sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

E esqueço que amar...




Você deságua em mim
E eu, oceano... 

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Vantagens infinitas



- Tudo é mais bonito porque estamos condenados - sorriu de um jeito triste, embora sereno.
Um passo no escuro.
Nossas testas e respirações se encontram; estilhaçando meu equilíbrio físico-psicológico - com sabor familiar de sobressalto.
Em um movimento de algodão, alcanço seu pescoço.
Desenho todos os meus medos, sob linhas errantes, nas costas desnudas da sua pele cálida, com pétalas de flor nos dedos - e eles somem. Porque estar com ele significava esquecer qualquer coisa além de nós dois.
- Que reconfortante - engulo em seco.
Tentar fazer o mínimo de sentido torna-se simplesmente inútil, enquanto a realidade resume a distância, que sempre vestiu infinito, entre nossos lábios a meros centímetros - deliberadamente suicidas.
Era um jogo de quem se entregaria primeiro e perder jamais assumiu uma forma tão tentadora e é claro que o meu coração brincava de assassinar as remanescências de orgulho próprio cantando o teor abismal da minha atonia alto demais.  
Quando suas mãos envolvem o meu rosto, fecho os olhos.
Fecho o mundo.
Sinto que as ligações moleculares do meu corpo ameaçam se desconstruir, inexoravelmente atraídas pelo seu magnetismo. Loucura é entender que há a possibilidade de explodir - mesmo que para dentro - mas não ter a coragem de se salvar - ou a decência; aquele momento em que a sentença de morte promete muito mais do que a vida seria capaz de sugerir.
- Vantagens infinitas - sussurra, lentamente.
Então ele sequestra a gravidade
- e me beija.

me beija me beija me beija me beija

sábado, 12 de dezembro de 2015

Olha bem, mulher...



Não tem medo não,
eu sei, vai dar errado...

terça-feira, 27 de outubro de 2015

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Transmude(ser)






Transmudo-me em verso
No avesso obtuso das auroras
Esmaltado em ósculos de silêncios
Demasiado prolixos

Transmudo-me a alma
Sob o álacre e o acre
Sempre rutilante
Jardineira de alfabeto

Transmudo o mundo
Sendo o que sou
Desconstruindo o que sou
A forma como eu nunca realmente soube me ser